Vixe, vovozinha. A culpa é da vítima, brincadeira. Volta logo, Jesus.

Um terço da população brasileira acredita que culpa de estupro é da vítima, diz pesquisa
Foto: Getty Images
Pesquisa encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) apontou que 90% das mulheres nordestinas têm medo de estupro, sendo a região brasileira com maior taxa. Em todo o país, esse medo atinge 85% da população feminina. Ainda segundo o estudo, um terço da população brasileira acredita que a culpa do estupro é da vítima. No total, 42% dos homens acreditam que mulheres que "se dão ao respeito" não são estupradas. Entre as mulheres, o mesmo dado tem percentual de 32%. Para 30% da população, a mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada. A ideia de que a culpa do ato é da vítima é maior entre a população mais velha, com baixa escolaridade e em municípios menores, segundo o jornal O Globo. "A mulher em hipótese alguma pode ser criminalizada. Ela é vítima, sempre, não ré. Essa cadeia de pensamento precisa ser rigorosamente combatida na nossa sociedade", defendeu o vice-presidente do fórum, Renato Sérgio Lima. Apenas em 2014, foram registrados 47,6 mil estupros no país. O levantamento mostrou ainda que os brasileiros acreditam na educação como forma de alterar essa realidade: 91% defenderam a necessidade de ensinar os meninos a não estuprar. Em relação ao atendimento, 53% acreditam que as leis nacionais protegem estupradores. A pesquisa ainda indicou que apenas 36% avaliam de forma positiva a preparação da Polícia Militar para atender vítimas de violência sexual, e 44% afirmam que a mulher é acolhida pela Polícia Civil. Realizada pelo Datafolha, a pesquisa ouviu 3.625 pessoas em 217 municípios de todo o país, entre 1º e 5 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

About Ladislau Leal

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :

Postar um comentário